Programa midiacom

Tendo como propósito o desenvolvimento socioeconômico dos adolescentes e jovens, o Iteva criou o projeto Midiacom que capacita, gratuitamente, em Tecnologia da Informação e Comunicação (TICs), estudantes das escolas públicas de Aquiraz, com ênfase em Comunicação Digital. Por meio de uma metodologia diferenciada, eles apresentam bom desempenho na aquisição de conhecimentos e habilidades. O sucesso do projeto foi tanto, que tornou-se programa e, hoje, ele está em três Escolas Estaduais de Educação Profissional do Estado do Ceará, com o nome de Curso Técnico em Multimídia, certificado pelo MEC.

As ações praticadas visam melhorar o desenvolvimento educacional, qualificá-los profissionalmente e torná-los protagonistas de suas histórias. Desde sua criação, o Midiacom já capacitou mais de 2 mil adolescentes e jovens permitindo-os integração coletiva, inserção no mercado de trabalho e o ingresso na faculdade.

Esses resultados vêm sendo conquistados com a visão de que não basta apenas capacitar, é preciso também desenvolver competências e criar mecanismos para que possam ser inseridos no mercado de trabalho ou na sua organização cooperada ou, ainda, na estruturação de microempresas. Essas ações permitem a redução das diferenças sociais.

Sua História

O Programa Midiacom nasceu de uma casualidade. Tudo começou a partir do trabalho socioeducativo desenvolvido pelo Iteva, inicialmente voltado para produções científicas e tecnológicas que sempre renderam temas para palestras nos mais diversos setores. Os integrantes do Instituto sempre utilizaram recursos multimídia para apresentação dos projetos, utilizando uma metodologia diferenciada.

Durante uma das apresentações, em 2003, o método utilizado foi identificado como um possível potencial de mercado. A partir dessa descoberta, a ideia foi aprimorada e, em seguida, desenvolvida para capacitar adolescentes e jovens, oriundos das comunidades em situação de vulnerabilidade social, em Comunicação Digital, oferecendo cursos de qualificação profissional em multimídia.

O trabalho começou a passos lentos, dispondo de pouca estrutura. Contudo, no decorrer do tempo surgiram demandas por serviços, resultado de um trabalho diferenciado e de qualidade que, aos poucos, foi se propagando e ganhando estrutura. Gradativamente, mais jovens foram sendo capacitados, organizados num processo produtivo, e passaram a fazer a gestão de negócios.

Desde então, o programa ganhou consistência de empresa-escola, e conquistou o incentivo de empresas e entidades renomadas, que se tornaram parceiras da ideia. O modelo de gestão produtiva segue o formato de cooperação e disciplina, fatores fundamentais no processo e na metodologia.

Hoje, o Midiacom ampliou sua grade de cursos na área da tecnologia e tornou-se uma ação permanente na capacitação de adolescentes e jovens. Desde sua implantação, mais de 2 mil pessoas foram capacitadas. O programa já foi replicado em outras instituições e até em outros estados.

Metodologia própria

A metodologia do programa é voltada para capacitação de adolescentes e jovens nas áreas de produção de multimídia, computação gráfica, comunicação digital, programação, redes, hardware e telemática, a fim de melhorar o desenvolvimento educacional, inseri-los no mercado inovador, em franca expansão, capaz de oferecer-lhes oportunidades de trabalho no âmbito das novas tecnologias e torná-los protagonistas de suas histórias.

Forma de ingresso

Para ingressar, a pessoa tem que ter entre 15 e 18 anos e estar estudando no ensino formal público, com defasagem máxima de dois anos em relação à série que deveria estar cursando.

1 Divulgação do processo seletivo:

Em parceria com as escolas públicas do município, Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente de Aquiraz (CMDCA) e ONGs do região, o Instituto divulga, semestralmente, o processo de seleção para o ingresso de adolescentes e jovens nos cursos ofertados pela instituição.

2 Seleção:

Realização de uma prova (conhecimentos gerais, raciocínio lógico, atualidades e português), entrevista e dinâmicas de grupo.

3 Capacitação inicial:

Através de aulas presenciais e videoaulas. Nesta fase, são analisadas as atitudes comportamentais e a evolução técnica de cada aluno, a fim de potencializar suas vocações e habilidades.

4 Capacitação intermediária:

Ao adquirir um nível preestabelecido de conhecimento, o aluno é convidado a ingressar no plano de carreira do programa. Nesta fase, o estudo continua a ser o principal foco, no entanto, ele poderá desenvolver alguns trabalhos laborais remunerados, obtendo práticas adequadas ao mercado de trabalho. Esta ação é amparada pela Lei 8.069/90, em seu Art. 68 do Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA).

5 Capacitação avançada:

O integrante tem sua capacitação intensificada e direcionada em função das habilidades e vocações que foram detectadas.

6 Profissional:

Ao término de sua capacitação, há três caminhos a seguir: mercado de trabalho, negócio próprio ou a Cooperativa Midiacom.net.


Em todas as etapas é estimulada a capacitação solidária, em que cada um tem sempre algo a ensinar ao outro, incentivando assim o companheirismo dentro do programa. Durante todo o período, são analisadas as atitudes de cada um em relação à união com o grupo, cooperação, disciplina, dedicação e consciência crítica, valores que formam a base da filosofia do Instituto.

Resultados

A qualificação de alto nível, associada ao desenvolvimento de competências e à prática profissional, impacta diretamente na melhoria do desempenho dos jovens na escola, melhorando as notas e a assiduidade, assim como no programa social. Consequentemente, surgem oportunidades de acesso ao ensino superior, chances de ampliação da renda familiar, sobretudo com ingresso no mercado de trabalho, tendo condições reais de ascensão. Também é minimizado o êxodo em direção aos grandes centros e o consequente “inchaço” dos bolsões de miséria.

Números

1461 jovens e adolescentes qualificados no curso inicial de comunicação digital;

950 jovens e adolescentes qualificados em computação gráfica e comunicação digital intermediária;

351 jovens beneficiados com capacitação técnica em multimídia de alto nível; e

83 jovens integrados ao plano de carreira do Midiacom.

Replicação - Uma experiência que se renova e se replica

O programa Mídiacom vem demonstrando que com criatividade, disciplina, planejamento e boas parcerias, é possível reduzir os índices de pobreza, expandir as oportunidades de emprego e renda, e avançar na melhoria da qualidade de vida. Certificado pela Fundação Banco do Brasil como Tecnologia Social por apresentar efetivas soluções de transformação social, ter resultados comprovados e ser replicável.

O ITEVA está aberto à novas parcerias com ONGs e/ou empresas interessadas em adquirir os direitos de replicação do Programa Midiacom, para complementar sua ação social. O foco da replicação é o atendimento à população de adolescentes e jovens oriundos de escolas públicas, preferencialmente aqueles de baixa renda. Partindo da premissa que para esses cidadãos este projeto não é apenas uma grande oportunidade, mas sim, o ensejo de ingressarem no mundo tecnológico com chances de crescimento profissional.

Hoje, com o avanço das Tecnologias de Comunicação, pode-se estar em qualquer lugar sem, contudo, ter de se fazer presente. Assim, com um planejamento estratégico para operar em rede, a metodologia de capacitação produtiva utilizada no Midiacom poderá ser implantada em locais onde haja uma conexão com internet banda larga.

Seguindo essa estratégia, o Midiacom já foi replicado, com êxito, em três ONGs no Ceará: duas em Aquiraz - Associação Beneficente dos Moradores de Pau-Pombo e Lar de Crianças Sara e Burton Davis; uma em Fortaleza (parceria com a Lanlink Informática e a Prefeitura de Fortaleza) - Centro de Inclusão Digital Dragão do Mar. Outra replicação aconteceu em São Paulo, na Associação Beneficente dos Funcionários do Grupo Allianz - ABA.

Empresa social derivada de um projeto social

Em complemento ao projeto social, o Iteva criou uma Cooperativa de Comunicação Digital denominada Midiacom.net, onde os jovens elaboram materiais diferenciados, produzidos com exclusividade para seletas empresas e instituições, como apresentações Power Point, produção e edição de vídeos,3D, editoração, entre outros.

Os adolescentes e jovens, que apresentam bom desempenho nas capacitações do programa social, são convidados a participarem do processo produtivo e gerencial da cooperativa, onde passam a desenvolver serviços de comunicação digital para grandes empresas, como:

A contratação destes serviços também é um ato de responsabilidade social, pois gera renda com base no trabalho tecnológico sem os “vícios do assistencialismo” e promove a sustentabilidade.